Longe de mim

O maior sinal de maturidade é, na minha opinião, lidar bem com problemas de relacionamento – os de qualquer tipo: amizade, namoro, casamento, família… E o maior sinal de que uma pessoa lida bem com problemas em um relacionamento, acho, é ela não desistir dele, ou saber quando é hora de desistir dele (com estilo, talvez).

Eu acredito no amor, mas não acredito em comédias românticas.

As pessoas não vivem felizes para sempre. Uns 4 em 5 casais nem são “feitos um para o outro” para começo de conversa. Mas não sou cínico: eu acredito no amor, e em todo o mel adocicado que vem com ele. Mas o caso é que um casal que é realmente um bom par passa pelos mesmos problemas de qualquer outro casal, todo dia; a diferença, o que faz um bom casal, é que eles não deixam isso desgastá-los. Pelo menos um desses dois vai estufar o peito e encarar tudo por esse relacionamento toda vez. Se for o certo, e se eles realmente tiverem sorte, um deles irá dizer alguma coisa.


Semisonic – Chemistry

Mix tape

Passei tardes (e algumas noites) de frente para o rádio esperando tocar alguma música, para na hora certa apertar o REC; e o ódio me consumia sempre que o locutor falava durante a música. Descobrir o nome das músicas era outra aventura.

Eu sou da geração que gravava mix tape para a pessoa amada.

Mas quando eu comecei a efetivamente fazer isso os gravadores de CD já começavam a popularizar. Enfim… Ainda hoje eu acho muito bonito e gostoso gravar mix tapes. Procurar músicas, aquelas que te fazem sentir certa coisa, ou te lembram algo, fazer a coletânea, sofrer quando ter de tirar alguma que não coube; e transmitir aquilo que você quer dizer, mas não consegue, para a pessoa presenteada.

Penso com carinho no enorme valor que uma mix tape tem. No tempo gasto, no sentimento empregado; no cuidado necessário na escolha das faixas, na sequência em que elas devem ser colocadas; no encarte, um trabalho artístico. O mundo precisa de mais mix tapes, de mais gente disposta a fazê-las.

PS: Conheci a pessoa com quem me casei quando os MP3 já estavam desbancando os CDs, mas fiz questão de gravar uma coletânea para ela. Meu modo de dizer “você é importante para mim”.


L. A. Guns – The Ballad of Jayne

Resolução de ano novo

Dezembro traz promessas, resoluções, respostas (ou pelo menos as coloca em alvos)… Em dezembro o tempo aperta o peito e mostra o quão fomos desatentos e quanto dele perdemos. Pensamos nas promessas, resoluções e respostas do ano anterior para esse ano, vemos que não fizemos nada do que estabelecemos – mesmo tendo feito inúmeras outras coisas, boas ou ruins – e, mesmo assim, fazemos a lista toda novamente.

Creio que a lista mais verdadeira e mais prática, e a que mais vai contribuir para o crescimento próprio, é essa:

Resoluções para 2013

  1. Fazer o que eu me propor a fazer no decorrer do ano
  2. Ter um objetivo e cumprí-lo como puder
  3. Esquecer essa lista, tenho coisas mais importantes para fazer

Para 2013 eu prometo que vou viver 2013, não sobreviver a 2013.

E enquanto todo mundo está preocupado em cumprir seus objetivos,  a vida passando rápido sem perceber, eu vou parar para dar uma olhada nela, dar um oi, tomar um suco.


Collective Soul – December

Sobre buscar alguém para si

Algumas pessoas são difíceis de se conquistar. Outras são fáceis. Algumas pessoas gostam de ser conquistadas e continuar conquistadas. Algumas outras preferem conquistar e evitar serem conquistadas. Algumas pessoas pegam alguém e ficam com ele pra sempre. Algumas pessoas querem conquistar quantas pessoas puderem enquanto a pegada estiver boa. Algumas pessoas são bem exigentes sobre quem pegar e por quem ser pego. Outras não são. Eles só pegam o que podem pegar. Algumas pessoas simplesmente não conquistam ninguém. Algumas pessoas leem livros e vão a seminários sobre como conquistar pessoas.

Algumas pessoas só pegam seu mesmo sexo. Algumas pessoas só pegam o sexo oposto. Algumas pegam tudo e são rebeldes sexuais looooucos. Algumas pessoas não são felizes com quem estão. Então eles tentam conquistar alguma outra coisa. Alguns foram pegos e se rebelaram contra seus pegadores tornando-se não-pegos e pegando outra pessoa para ser seu próprio pego, que na verdade é só um jeito de voltar para a pessoa que pegaram eles no começo.

Algumas pessoas se cansam de pegarem umas as outras e se afastam disso. Algumas pessoas pensam que há mais na vida do que pegar uns ao outros e se esforçam no trabalho tentando conquistar o que seja que estejam querendo conquistar no lugar de alguém.

E algumas pessoas se deram conta de que as pessoas e as coisas e basicamente tudo na vida é fundamentalmente inalcançável, então não há motivos para tentar com tanto esforço conquistar essas coisas.


The Fratellis – Whistle for the Choir

Passa o tempo

Uma pessoa aí me disse uma vez que quando a gente tá numa situação que não agrada a gente tanto assim, sem querer vamos nos abrindo pra outras novidades; quando menos esperamos, pow, estamos em outra situação.

Olhamos pra outra camiseta mais bonita que a que usamos, trocamos de música porque a anterior cansou e a próxima é mais dançante, deixamos um livro de lado porque uma conversa tá mais interessante, não atendemos um telefone porque não queremos falar.

Sou a favor de não deixar oportunidades passarem, por mais chato que seja jogar fora o tênis que era o favorito mas nunca mais foi usado mesmo. Ou por mais que quem escreveu aquele bilhetinho fique chateado com a gente por jogar fora o que se tornou só papel guardado.

Reinventar-se.


Jarvis Cocker – Don’t Let Him Waste Your Time

Pendurar as luvas

Por quê? Quer dizer… as coisas tem níveis de importância, né? E de interesse. Disso sai que é desinteressante e secundário, ou não? Deveria ser o contrário: o porto seguro, a paz, deveriam estar no objetivo da luta, não nas tentações ou problemas que te tiram do ringue, e quando você se pega lutando muito mais pra sair do ringue do que pra vencer a luta, aí você tem que se perguntar se vale a pena.

A luta machuca, e não é pouco, e você tem que conviver com cada cicatriz e com cada dor depois de tudo. E, se é desinteressante, se é secundário, se as coisas fora das quatro cordas fazem mais sentido, se as lutas lá fora são mais atraentes… o mais certo a fazer é pendurar as luvas, e encontrar seu caminho de verdade, seja ele qual for.


Faith no More – Easy

Eu não sou um cara legal

Eu realmente achava que as coisas eram fáceis e eu ia conseguir viver a vida do jeito certo. Eu sempre tive certeza de onde eu queria estar, e para onde eu queria ir, de como eu ia chegar lá e do que eu ia fazer no caminho. Acreditei que as pessoas eram fáceis de lidar, e que eu conseguiria agradar todo mundo.

Os anos passaram, a maioria dessas pessoas foram embora, eu deixei de ser quem eu era – o que não é ruim. Eu percebo que não há o jeito certo de viver a vida, nem há como controlar o que você encontra no caminho, e por mais certezas que você tenha, nada é estático, a mentira pode se tornar verdade, e idade pode ser medida de tempo e de peso, e o peso cada vez maior nos obriga a sermos maiores também. E as pessoas… não, não dá pra agradar todo mundo.

Mas posso agradar a mim mesmo, e, se pros outros não for o suficiente, paciência… Nada é estático, nada é certo… a não ser que você lute por ser. E nem sempre ficar parado faz bem, descansar demais atrofia.

Que me alcancem, não vou ficar parado.


Lemmy Kilmister – I Ain’t No Nice Guy